A Páscoa No Espiritismo

COMPARTILHE

No Espiritismo a comemoração da Páscoa não é celebrada. Quais as razões?
Etimologicamente o termo Páscoa deriva do hebreu “pasach”, que significa “passagem” e inicialmente remetia à libertação do povo hebreu da escravidão no Egito. Religiosamente, é nome dado a importante festa na doutrina cristã católica para a comemoração da ressurreição de Jesus, tendo havido nos dias anteriores reflexões sobre sua crucificação e morte.
Embora o Espiritismo seja cristão, respeita mas não compreende de mesmo modo todos os preceitos das religiões cristãs. Um dos pontos divergentes é o entendimento da ressurreição. Nos atendo a fatos e não à fé, a ressurreição do corpo físico contradiz a ciência, que diz ser impossível que um corpo realmente sem vitalidade seja ressuscitado. E como Jesus disse ter vindo “cumprir lei” e não violá-la, não há sentindo acreditar que justamente ele transgrediria a lei natural da transição pela morte que todos experimentaremos.
Aliás, o que é a morte? É exclusivamente a cessação da influência do ser pensante sobre o corpo, ou, de outro modo falando, é o desligamento do espírito do instrumento carnal incapacitado, para o qual não há mais retorno.
O Espiritismo procura manter-se sintonizado com os fundamentos científicos e quanto a isso afirma que qualquer ponto doutrinário rejeitado pela ciência de forma comprovada será modificado.
Um corpo efetivamente morto (com desconexão do espírito), não volta à vida pois nesse instante começa imediatamente sua decomposição. Por tal motivo o Espiritismo não comemora o que não existiu no sentido estrito do conceito, a ressurreição física de Jesus.
Para a Doutrina Espírita a vida imaterial é inexaurível e a morte não existe senão fisicamente. Para os espíritas a ressurreição pode ser entendida como a manifestação de Jesus em corpo espiritual, comprovando que ele sempre estaria presente como prometera, pois permanecia vivo.
O objetivo deste artigo não é adentrar em debates doutrinários, numa competição vazia sobre a forma correta de crer, até porque o Espiritismo respeita toda forma de fé e não pretende impor a sua.
Todavia é relevante deixar claro ao simpatizante espírita, bem como aos iniciantes no estudo da doutrina os motivos pelos quais o espírita não comemora a Páscoa – o respeito pelo Cristo e sua missão grandiosa deve ser parte do cotidiano do espírita, sendo importante refletir a todo tempo sobre o que ele ensinou, praticando tais conceitos.
Concluindo dizemos que para a fé espírita Jesus permanece vivo como sempre esteve, somente fora do corpo físico, pois a morte não existe. Não estamos sós.

COMPARTILHE