Filha de pastor disse que era oprimida a ‘fazer sexo com demônios’ antes da conversão (testemunho)

COMPARTILHE

A conversão religiosa sempre gera bastante polêmica. Constantemente, somos bombardeados por notícias onde afirmam que determinada pessoa que até então possuía uma vida devassa, passou a assumir Deus e a frequentar a igreja.

Também há casos de pessoas que não possuíam nenhuma religião, e após uma experiência, passar a crer veemente em Deus.

A conversão para o evangelho em especial, é sempre recheada de polêmicas. Independente das razões dos novos fiéis (superação das drogas, estar entre a vida e a morte, entre outros), a Igreja Universal está sempre de braços abertos a receber seus novos frequentadores.

Inclusive, o jornal impresso da Igreja está sempre publicando sobre estes casos.

Detalhes

Acontece que sempre há casos que irão se destacar mais que alguns, e que serão lembrados para a posterioridade. Foi o caso da jovem Camila Martins, de 18 anos, em 2012.

Na ocasião, a jovem havia enviando um e-mail para Márcia Panceiro, esposa do bispo Romualdo Panceiro, pedindo ajuda.

A jovem que vinha de uma família religiosa e é filha de um pastor, ela relata que não só ela, como diversos outros jovens filhos de pastores sofrem sozinhos, sem que os pais e a família desconfiem.

No relato, que mais tarde foi publicado no seu blog do bispo Edir Macedo, Camila relata seus traumas vividos na infância e adolescência, que vão desde abuso sexual a envolvimento com o diabo.

Na mensagem, a garota conta que quando tinha apenas cinco anos de idade, ela sofreu abuso de um parente, que tinha somente dez anos de idade (pasme!). Desde o ocorrido nesta época, Camila passou a nutrir um sentimento de ódio pelos homens, incluindo o próprio Deus.

“Eu comecei a ter muito ódio de Deus, pois eu dizia que o culpado do meu sofrimento era Ele. Odiava este meu parente, era revoltada, sentia nojo e ódio dos homens”, explica.

Seu contato e envolvimento com o diabo ocorreu por meio de uma amiga. A partir daí, a filha do pastor passou a fazer pedidos ao ser maligno, até que, em um determinado ponto, ela passou a ser abusada sexualmente por demônios diariamente.

 “Masturbava-me todos os dias. E o fato de começar a fazer estes pedidos ao diabo me custou caro.

Comecei a ser abusada pelos encostos, diariamente, era horrível e não era apenas um, eram vários, pois aquilo demorava muito tempo, e repetia-se por várias vezes na madrugada. Não os via, mas os sentia por completo”.

Foi um período bastante difícil e perturbador, explica a jovem vítima, emocionada. Sua libertação dos demônios só veio a ocorrer quando ela abandonou seu ódio por Deus, e passou a aceitá-lo em sua vida e coração.

O que mais comoveu no depoimento da jovem, é que além de reconquistar a sua paz, ela se deu a missão de ajudar outros jovens filhos de pastores que também sofrem suas angústias em silêncio.

Infelizmente, há muitos jovens perdidos em vícios de álcool e drogas, no mundo da prostituição (para bancar os vícios) e até mesmo o homossexualismo; mas que sozinhos, não têm forças para se reerguer.

COMPARTILHE